Cerveja de Cactos - Duas Cervejas Brasileiras feitas com a planta da Caatinga

A criatividade do cervejeiro brasileiro é realmente algo a ser exaltada. Conforme já mostramos aqui diversas vezes, a industria local da cerveja artesanal cresce a passos largos e dois fatores são essenciais pra que isso ocorra no Brasil, primeiro a própria criatividade do nosso povo em criar receitas diferenciadas e muitas vezes com ingredientes inusitados. E em segundo, a nossa biodiversidade que oferece tantas opções para aflorar ainda mais as possibilidades de criações incríveis.

Hoje vamos mostrar 2 rótulos de cerveja que refletem muito bem o parágrafo acima, são 2 cervejas produzidas a partir de plantas típicas da região do nordeste, mais precisamente do bioma caatinga, estamos falando de cerveja feitas de cactos.

Cacto Beer 

A Cacto Beer foi criada no sertão de Alagoas, quando dois amigos decidiram fazer uma cerveja caseira a partir do cacto Mandacaru, espécie nativa da caatinga. O advogado e mestre-cervejeiro caseiro Raoni Mattos teve a ideia e sugeriu ao empresário Tiago Barros que produzissem a receita e revendessem no restaurante do Tiago.

O resultado foi uma Blond Ale, com 4,2% de teor alcoólico, cor esverdeada, corpo leve e sabor frutado característico.

"“A cerveja tem gosto de sertão, difícil explicar com o que ela parece. Mas é uma bebida que você consegue beber sem pesar” contou Tiago em entrevista ao Bom Gourmet.

A primeira produção teve 300 litros e foi vendida durante a Copa do Mundo de 2018, caindo rapidamente no gosto dos clientes.

Com o sucesso da Cacto Beer, eles resolveram virar sócios e fundar a Cervejaria Camonga - Cervejas Criativas, e atualmente produzem cerca de 2 mil litros mensais da bebida.

Mandacaru Atômico

A Mandacaru Atômico é uma cerveja colaborativa entre entre a cervejaria Heroica (São Paulo), Caatinga Rocks, (Maceió) e o chef  Timoteo Domingos - conhecido como chef do sertão, que traz em sua receita a adição de três tipos de cactos.

Lançada em janeiro de 2019, a cerveja é uma Sour Cactos Ipa com 3,6% de teor alcoólico e 12 IBU. As três cactáceas presentes na Mandacaru Atômico são: mandacaru, xique-xique e palma.

"Para nós, mais importante do que adicionar cactos em uma cerveja, é poder resignificar o único bioma exclusivamente brasileiro: a caatinga, mostrando como é possível trabalhar elementos que, muitas vezes, sequer tinham valor econômico ou mesmo alimentício para a população", comenta Rafael Leal, responsável pela Caatinga Rocks.

A Mandacaru Atômico recebeu medalha de bronze na categoria “Brazilian Beer com ervas e especiarias” no Festival Brasileiro da Cerveja, que ocorreu em Blumenau, em março desse ano.


Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados